EI, AMIGOLAS! NO TWITTER, O ADOLAR GANGORRA é "1 FILME EM UMA FRASE!"

EI, AMIGOLAS! NO TWITTER, O ADOLAR GANGORRA  é "1 FILME EM UMA FRASE!"
No Twitter, Adolar Gangorra é "1 Filme Em Uma Frase!" ( @UmFilmEmUmaFras ). Sim, amigolas! Adolar Gangorra vai ao cinema sem cueca pra pegar um ar gelado nas bolas e sempre dorme. Depois sai contando pra todo mundo só a parte que ele viu...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

LOUCURA NO ASFALTO

Hoje em dia é comum vermos na mídia reportagens e mais reportagens sobre as chamadas "corridas de fundo". Todas acabam exaltando o esforço dos atletas e a incrível dureza do percurso. Porém nenhuma é tão famosa e desgraçada como a temível Maratona, a avó entrevada,encardida e ranheta de todas as corridas! Há pouco vimos o caso do corredor brasileiro que, prestes a ganhar a Maratona olímpica, foi abalroado por um padre irlandês que imediatamente foi taxado como louco. Mas, se analisarmos toda a história dessa prova, será que o tal padreco seria realmente o verdadeiro maluco da história?Na Maratona tudo é obrigatoriamente grande; o nome, o percurso, o número de participantes e principalmente o saco de quem consegue acompanhar uma corrida dessas até o final. Como se sabe, tudo começou na Grécia em 490 a.C., na planície de Maratona, onde gregos e persas guerreavam por motivos tão nobres e sérios como um caroço de azeitona. Após os helênicos darem um pau servido no inimigo, alguém teve a brilhante idéia de avisar a moçada em Atenas sobre a vitória. Diz a lenda que essa agradável tarefa coube a um soldado raso chamado Feidípedes, que prontamente saiu em desabalada carreira para cobrir os 40 quilômetros que separavam a tal planície de Atenas. Resultado: após matar gente a manhã toda, Feidípedes correu 40 mil metros debaixo do sol escaldante do mediterrâneo e, ao chegar, teria dito: "Alegrai-vos, nós vencemos!" E caiu mortinho no chão... Troço chato, não? Deu pra notar que a tal Maratona começou mal pra burro! Nota zero em marketing! Quem, em sã consciência, iria se interessar por uma prova em que o primeiro corredor morre no final? Atirar em maços de cigarros com espingardinhas de rolha no domingo à tarde em um parque de diversões lascado do interior daria mais prestígio esportivo! Mas também não poderia ser de outra forma menos trágica. 40 km? É um absurdo de percurso! Até de carro cansa! Você, quando quer dar uma voltinha no seu automóvel só pra sair de casa, não anda 40 quilômetros! "Pô, não deu pra me distrair ainda não... só andei 33 km até agora....!"

Está na cara que o mártir do esporte, Feidípedes, não era outra coisa senão um desertor de primeira! Deu no pé na primeira chance que lhe deram! Só que na hora de fugir, ficou nervosão, correu na direção errada e acabou dando de cara com seu próprio pessoal. Deve ter morrido é de raiva mesmo! Se não foi isso, o tal Feidípedes devia ser um fofoqueiro compulsivo! Aquela distância toda só pra contar uma novidade? Francamente...

Infelizmente, nos dias de hoje, essa corrida auto-flagelante foi ficando incrivelmente popular. É a grande prova de resistência das Olimpíadas (e de desistência também). Ninguém agüenta direito! São 42.195 kms de puro tédio! Ah, você acha golfe chato? Então experimente assistir uma maratona pela televisão. Aí você vai ver o que é CHATO de verdade! É a prova de fogo pra qualquer narrador! Ele vai ter que contar piada, cantar, dar receita de bolo, fazer o mapa astral dos telespectadores, etc. para manter a audiência... Simplesmente não dá!

A Maratona é tão bizarra que acabou forjando o mais tresloucado de todos os atletas: o maratonista! Sim, aquele sujeito magro, soturno, com a fronte sempre franzida e com um número pendurado no peito. Não, não é um interno de uma instituição manicômio-judiciária, mas bem que poderia ser! A verdade é que o maratonista é um compulsivo-obsessivo de short e camisetinha. Tinha que estar internado! Assim como existem alienados que optam por se tornarem trekkers, Paquitos e torcedores do Matsubara, os maratonistas apreciam sair trotando pela rua durante umas duas, três horas seguidas. Ah, que agradável! Coisa de louco furioso, sem dúvida! A verdade é que a Maratona é uma das mais insidiosas formas de loucura disfarçadas de esporte! Esporte? Deveria estar no mesmo patamar desportivo da queimada, da cama de gato, do par-ou-ímpar e olhe lá!

Mas não, resolveram achar o tal religioso irlandês é que o lesado da história!O padre não foi tão porra louca assim não! Pelo contrário, ele foi o único sujeito são da parada! Ele só estava tentando impedir o corredor brasileiro de se auto-imolar como Feidípedes fez, pedindo para que ele parasse com aquela loucura anaeróbica que não faz bem a ninguém. Ao agarrar o maratonista ele devia estar pensando: "Vamos meu filho, Deus te perdoa! Pare com essa putaria, por favor! !" E o que aconteceu com ele? Foi preso, condenado e humilhado mundialmente pois só estava tentado ajudar ao próximo. E o corredor brasileiro? Esse virou herói...

Assim como Feidípedes, o homem que transformou a maratona em "corrida de fundo" para "corrida defunto", qualquer um desse ditos "heróis" pode entrar também pra história de modo bem parecido. É só achar que Atenas não é tão longe assim. Coisa de louco realmente...

Adolar Gangorra, tem 94 anos, é editor do periódico humorístico Os Reis da Gambiarra e já chegou em 1º lugar em uma Maratona dentro de uma ambulância.

Nenhum comentário: